O beijo mais sublime








...Então, ocorre-se boatos, de que Anastácia Romanov, ainda está viva, ou pelo menos sobreviveu ao massacre na qual o último czar, no caso seu pai, sua mãe e irmãs morreram...

 Coloquei a caneta novamente na boca, enquanto pensava se deveria ou não finalizar meu trabalho para amanhã com estas palavras. Mas logo me esqueci de tudo isto quando ouvi barulhos vindo dos fundos da sala em que eu estava. Olhei janela a fora, já era de noite. Eu nem vira o tempo passar, de tão concentrada no trabalho estava. Fingi escrever mais alguma coisa, a caneta com a tampa ainda, tentando forçar meus ouvidos detectarem mais algum movimento. Não precisei de muito tempo.

- Bonitinha, olhe só o que eu achei...- Lentamente me virei, com a respiração acelerada ao notar um maníaco com um canivete na mão. Ele estava totalmente vestido de preto, parecendo um ninja de filmes, exceto que não portava nenhuma arma, exceto o canivete.

 Libertando-me do torpor que havia me invadido, rapidamente corri dali, esquecendo dos meus trabalhos e tudo, pois ali o que importava era minha vida. E claro, ele me seguiu. Mas, infelizmente, ele era maior e mais rápido que eu. Rapidamente me alcançou, me segurando fortemente pólos cabelos, enquanto em vão eu tentava libertar-me. Foi quando, um movimento nas sombras chamou minha atenção. Era algo grande e branco, que rapidamente vinha para a luz. Um tigre. Por alguns segundos nos encaramos, ele parecia estranhamente humano, seus olhos me lembravam alguém... Estava difícil pensar. Ele quebrou o contato entre nossos olhares, para vir com um bote em minha direção.



Fechei os olhos, temendo a dor, que não veio. Olhei em volta, só para achar o tigre degolando o maníaco no chão.  Minha sorte furada, sair de uma cilada para entrar em outra. Dei alguns passos para trás, temendo ser a próxima vítima. Mas então, olhando o tigre com o pelo manchado de sangue, presenciei algo, que comparado a atual situação, não me surpreendeu muito.  O tigre se transformou em um homem, um que eu conhecia muito bem.

 Sem hesitar, me joguei em seus braços, e antes que eu pudesse dizer algo, ele me calou com um beijo. Um beijo que pareceu traduzir todas as nossas emoções, e almas, em uma sincronia perfeita.  Na verdade, foi como uma montanha russa.  Lembrei-me de momentos que eu senti vontade de chorar, e outros que senti vontade de rir em seus braços. Momentos que quis socá-lo, e momentos que quis abraçá-lo.  Foi o nosso primeiro beijo, e não poderia ter vindo em um momento melhor. Mas o beijo durou pouco, infelizmente, apenas alguns segundos, mas que valeu a pena. Esse foi meu último pensamento, antes de cair na inconsciência.

----------------------------------------------------

Você é  a Minha Maior conquista


Kayan

 Eu sabia que provavelmente ela nem viria. Isso era simplesmente uma droga, já que quando estávamos a pelo menos 10 metros de distância começávamos as alfinetadas. Mas a verdade era que eu amava aquela louca de cachinhos dourados. Pisquei algumas vezes, tentando afastar aqueles pensamentos. Eu tinha que me preparar para a competição, que aconteceria daqui a meia hora. Planejava ganhar a medalha de ouro. Pensar naquela loirinha só me faria perder. E foi quando Mark apareceu.

 Suspirei. Mark era um dos melhores atletas de natação que eu conhecia e nós sempre em competições como estas ficávamos emparelhados, até que nos últimos metros do nado algum de nós vencia. Mas hoje eu não daria chance alguma a ele.

- E aí Kay, já sabe que hoje é meu dia não?

- Só em seus sonhos grandão. Da última vez você já perdeu. O que o leva a crer que poderá ganhar desta vez?

- Eu treinei- E dito isto, saiu dali, com o porte de um vencedor, em direção ao vestuário.

Contive minha risada. Eu também havia treinado. Eu não era nenhum palhaço que ficaria parado só por que venci a última disputa. Eu queria manter meu posto, e treinei. Aposto que mais que ele. E venceria.  Relancei um último olhar á plateia e surpresa das surpresas, ali estava a minha consorte. Ela estava com um pacote de batatinhas na mão e na outra, um milk-shake. Típico. Ela obviamente iria ficar com fome. Sempre depois que a gente brigava, ela comia. Só não entendia como ela poderia comer antes disso. Ou então ela planejava alguma loucura. Nunca se sabe.

Obviamente ela estava acompanhada de Nicolai. Provavelmente, ele a havia obrigado a vir, fazendo alguma ameaça quanto ao fato que ele era seu padrasto e eu era um parente muito próximo a ele, portanto, se ela me odiasse, ele tomaria isso como uma ofensa pessoal. Sim, talvez isso tivesse mesmo acontecido.  Olhei no relógio e vi que faltava apenas vinte minutos. Tempo suficiente para dar uma palavrinha com meu tio e a louca.

--

Talita

Por algum motivo, eu me sentia nervosa. E sempre que eu ficava nervosa eu comia. Assim como eu ficava após uma briga com o louro aguado. Eu parecia uma neurótica, abrindo o pacote de batatas e colocando umas 3 inteiras na boca. Eu estava tão concentrada nas batatinhas, que nem percebi quando alguém simplesmente se interpôs na minha frente.

Sem nenhuma surpresa, descobri ele ali. Ótimo. Agora eu iria ter que me preocupar com meus poderes, como se eu tivesse o conjecturado até ali. Não que não fosse uma boa ideia. Se tivesse tais poderes, e pudesse conjecturá-lo, eu também poderia mandá-lo embora...Muito boa a ideia. Pena que não tive muito tempo para devanear nas minhas abobrinhas.

- Olha só quem apareceu por aqui... Pensei que iria ficar em casa, rezando para que eu perdesse.

- Sabe que não sou assim. Sou bem mais assistir a sua derrota.

- E então esta a fim de apostar? Se eu ganhar...

- Vocês dois, podem fazer o favor de ficarem quietos? Não podem ficar 5 minutos juntos sem brigarem?

- Não- Respondemos juntos e ao mesmo tempo. Olhei para ele e ele para mim. Era a primeira vez que concordávamos em algo. De repente, por sei lá qual motivo, desatei a rir. Acho que foi saber que tínhamos algo em comum. E adivinhe, ele também começou a rir.

Nicolai nos olhou como se tivéssemos tomado algumas, e provavelmente poderia ser o caso, já que minha mente parecera ter derretido. Ele murmurou alguma coisa sobre ir ao banheiro, mas eu sabia que ele queria na verdade fugir de nós dois. Eu e Kayan havíamos concordado em alguma coisa. Após o momento constrangedor, parei de rir e fingi prestar muita atenção em um detalhe da minha calça. Por que eu estava com vergonha de admitir a mim mesma que gostara de rir com ele. Ele era um palhaço, mas eu simplesmente amava brigar com ele. E naquele momento, eu estava muito vulnerável para simplesmente olhá-lo nos olhos.

Pensei que ele iria sair dali imediatamente, já que a competição seria daqui a 15 minutos, e obviamente não tínhamos nada a conversar, mas ele continuou ali. Então, a coisa mais estranha aconteceu. Kayan colocou sua mãe em meu queixo e ergueu minha cabeça para olhar em seus olhos. E alguma coisa ocorreu nessa troca de olhares, por que os olhos são as janelas da alma, e os olhos dele pareciam ter deixado todos os seus sentimentos saírem.  E me surpreendi a encontrar sentimentos que nunca esperei encontrar nele para mim.

Ele se sentou ao meu lado, ainda sem soltar meu rosto. Eu estava pronta pra gritar que ele havia ficado maluco, mas temia estragar o momento. Nunca imaginei que me sentiria assim do lado dele.

- Loirinha... Você é minha maior conquista. Dane-se a competição - E dizendo isso se inclinou para me beijar. E o pior, foi que eu correspondi. Ele passou seu outro braço ao meu redor, trazendo nossos corpos para mais perto. O beijo se prolongou durante mais alguns segundos, até ele finalmente me soltar. Tentei em vão achar algo para dizer, mas era como se ao invés dele ter me beijado, tivesse feito uma lavagem cerebral em mim. Me concentrei ao máximo, pois sabia que deveria afastá-lo.

Isso não muda nada- Não sei como, mas minha voz saiu tão segura que obviamente contrastava com tudo que eu estava sentindo.
- Eu sei- E o sorriso dele era tão presunçoso, que eu não sabia se acreditava mais nele ou em mim.
Ele saiu, se dirigindo ao vestuário, enquanto eu continuei ali, apenas repassando em mente o beijo. Era difícil admitir aquilo para mim mesma, mas eu o amava. Senti meus olhos arderem, com medo desse novo sentimento que esteve lentamente se instalando em mim. Durante tantas de nossas brigas, eu simplesmente mantive isso tudo escondido. Mas com o beijo de hoje, era como se eles se revelassem a mim pela primeira vez.
Quando Kayan entrou na piscina, antes de colocar seus óculos de natação, ele piscou pra mim. E enquanto ele nadava, eu não mais torcia para ele perder. Eu queria que ele ganhasse, por nós.
                    
                                                                                                                                   


Talita Fernandes 



:) :,( ;) :D :-/ :? :v X( :7 :-S :(( :* :| :-B ~X( L-) =D7 :-w s2 \m/ :p kk

0 .:

Postar um comentário